terça-feira, julho 29, 2008

Libertos

Olá, chamo-me Salomé. Obrigada pelo convite, César.

Um pequeno contributo para o que entendo ser o sentimento de arte.


Num combinar astuto de referências
abriram-se os portais
e despediram galopes

os animais libertos
das tecidas mansões.



Excerto (ligeiramente alterado) de Fátima Maldonado sob Cavalaria Vermelha de Malevich.

5 comentários:

Vera disse...

bem-vinda. gosto do teu nome. Salomé.assenta na perfeição à tua escolha ou vice-versa.

intruso disse...

um sentimento liberto,
esse de que se fala.

bem-vinda.

isabel disse...

olá salomé. bem vinda aos segredos.
(...gostei muito do malevich que postaste)

ana salomé disse...

obrigada vera, intruso e isabel.

:)

casa de passe disse...

gostámos!


gostei

o luar, o mar e a lua


belezas

únicas da vida

- e a nossa é tão de ppaelão, tão de sabão -



NiNi (sem a Loulou, sem a Fininha e muito menos sem o João)