sábado, maio 03, 2008

blindness II



R. Magritte, Les Amants
François Rosseau, Campanha Publicitária (Renova), 2005/06
P. Brueghel (o Velho), A Parábola dos Cegos
. 1568

7 comentários:

[A] disse...

Em 93 fiz os figurinos para Os Cegos, do Teatro Experimental do Porto, com encenação de Claudio Lucchesi. A peça e os figurinos eram inspirados exactamente neste quadro do Brueghel.
Logo depois, aquilo ardeu tudo...

Entretanto,tive de virar-me para outras áreas e deixar o teatro[€], mas foi uma experiência fascinante.

Vera disse...

Aedos (cegos, poetas, intérpretes)

"estes, por sua vez, cantam e rememoram os grandes feitos dos grandes homens, heróis. Expressam os mitos, as condutas humanas a serem seguidas por determinada sociedade (identidade coletiva). “Ele [o poeta] conhece o passado porque tem o poder de estar presente no passado” (p. 109). Não é um homem comum." (Jean-Pierre Vernant')

licopódio disse...

"Não era cego, era desatento"

Silvares disse...

Aquela cena do Brueghel é mais "um cego guiando outros cegos"... uma cégada!

merdinhas disse...

"Les Aveugles


Contemple-les, mon-âme; ils sont vraiment affreux!
Pareils aux mannequins, vaguement ridicules
Terribles, singuliers comme les sonnambules;
Dardant on ne sait où leurs globes ténébreux.

Leurs yeux, d'où la divine étincelle est partie,
Comme s'ils regardaient au loin, restent levés
Au ciel; on ne les voit jamais vers les pavés
Pencher rêveusement leur tête appesantie.

Ils traversent ainsi le noir illimité,
Ce frère du silence eternel. O cité!
Pendant qu'autour de nous tu chantes, ris et beugles,

Éprise du plaisir jusqu'à l'atrocité,
Vois! je me trâine aussi! Mais, plus qu'eux hébété
Je dis: Que cherchent-ils au Ciel, tous ces aveugles?"

Charles Baudelaire


p.s Parece que B. o escreveu a propósito da Parábola dos Cegos do Brueghel...se descobrir onde li isso digo-te mas agora não sei se foi livro ou net...

merdinhas disse...

(acho que podias repetir t o post de Janeiro...Paul Srand - "Blind")

intruso disse...

(está em rascunho)
;)