segunda-feira, janeiro 07, 2008

Luiz Pacheco,escritor, sofre de asma brônquica. Calvície precoce. Fractura do úmero devido a tentativa de suicídio na Av. De Berna. Queda de dentes natural quase total. Efizema pulmonar bilateral diagnosticado em 1958, obrigado a uso permanente de botija de oxigénio, à noite e ao levantar. Hérnias inquinais não operadas com uso de funda dupla. Hipersensibilidade ao álcool, o que o conduziu a uma fraudulenta fama de alcoólico incorrigível. Tratamento de desintoxicação no Centro António Flores, ambulatório e dois internamentos. Miopia e astigmatismo, quase cegueira. Bissexual assumido. Leve surdez do ouvido esquerdo. Andropausa total. Três mulheres reconhecidas. Três estadias no Limoeiro: 1957, 1959, 1968. Duas estadias na cadeia das Caldas da Rainha: 1967, 1968. Prisões ocasionais e breves em esquadras da polícia. Autor, entre outros títulos, de: Literatura Comestível, O libertino passeia por Braga, A Idolátrica, O Seu Esplendor, Exercícios de Estilo, Comunidade.

7 comentários:

intruso disse...

acima de tudo livre......

merdinhas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
merdinhas disse...

(tinha comido letras)
...

reitero o comentário anterior ...a esta hora já cravou 20 paus a uma alma penada qualquer.


E deve rir-se. Muito. Dos que cá andam.

[A] disse...

rssssssss....pois é o provável

[mer, aquela pergunta da religiosidade do Pacheco era minha-wrong nickname]

contudo
tudo
tem um preço
só se é verdadeiramente livre quando reduzimos ao ínfimo as nossas necessidades
poucos têm essa coragem

art&tal disse...

a A conheceu o luis pacheco?

[A] disse...

Só o conheço na medida em que o entendo.

Bandida disse...

e há lá coisa melhor... livre...