domingo, março 04, 2007

lacuna, unfolding, fiery storms__________________


'It is no longer possible to think in our day other than the void left by man dissapearance. For this void does not create a deficiency; it does not constitute a lacuna that must be filled. It is nothing more, and nothing less, than the unfolding of a space in which it is once more possible to think.'

(Foucault)
'I am a violent being, full of fiery storms and other catasthrofic phenomena. As yet I can't do more than begin this and begin again because I have to eat myself, as if my body is food, in order to write'

(kathy Acker)

imagens: MárciaX

9 comentários:

clotilde disse...

Hummmmmmmmm.... fico a pensar!

non-sense disse...

o meu corpo é alimento...o meu corpo foge ou não foge à catástrofe...(o meu corpo sou eu?)...quem sou eu?

linhas tortas disse...

Eu? O meu corpo é meu! Revejo-me ?Sou eu? Sou eu? Sou eu?

non-sense disse...

Decididamente não sou ninguém nesta esquizofrenia de planeta!

merdinhas disse...

tenho de ler K. Arsher. ..

há um livro "remake" dela que me interessa. mas pouco sei.

sabes?

intruso disse...

(o corpo é tb lacuna... matéria lacunar, fome)


p.s.
vontade de ler, sem dúvida...

Vera disse...

também (ainda) não sei muito. descobri esta citação por dentro de outro livro que 'vou visitar':

http://www.amazon.com/gp/reader/0745625770/ref=sib_dp_pt/102-9119824-1306509#reader-link

Mónica disse...

lavo-a muitas vezes :-) com limão

Anónimo disse...

Obrigado por intiresnuyu iformatsiyu